Sendo a metalurgia a ciência responsável pela extração, aplicação e transformação de materiais metálicos como o ferro (Fe), bronze (Cu-Sn), ouro (Au), prata (Ag) e afins, esta é constituída por uma vasta gama em áreas de atuação.

Constitui-se em dois os grupos de materiais, classificados por sua matéria-prima e não popularmente conhecidos ou usualmente aplicados, como outros grupos, por exemplo: materiais poliméricos e materiais cerâmicos.

Assim como a fibra de vidro, que é constituída principalmente por material cerâmico e polimérico. De modo geral, fábricas de grande parte, da ampla gama de peças metálicas, correspondem a instalações fixas.

Com relativa simplicidade e grande flexibilidade de execução, com capacidade para realizar operações específicas. Seu porte depende, principalmente, da capacidade de produção desejada.

Podendo haver uma única (no caso de pequenas fábricas) ou mais seções (setores divididos por etapas de produção).

O longo processo de controle e planejamento, inicia-se após a escolha do projeto estrutural, etapa essa, feita em paralelo a checagem de viabilidade e feitura de peças, ferramentas, estruturas e afins.

Peças e ferramentas da metalurgia

Quanto a repuxação de metais, é feita durante a fabricação de materiais, como panelas, luminárias, canecas e outros produtos com medidas e usos específicos.

Entre as matérias-primas que podem ser empregadas, estão o aço carbono, aço, inox, alumínio, latão e cobre, entre outras.

Para que ocorra, primeiro é necessário que uma chapa plana de metal seja cortada na forma de disco, com o diâmetro determinado para a peça a ser repuxada.

O processo também exige o uso de um molde de aço, ferro ou alumínio fundido que tem o formato e as dimensões internas da peça a ser repuxada.

Um contra ponta também é usado para que a chapa seja repuxada, até obter o formato desejado. A junta de expansão metálica é utilizada em sistemas de tubulações.

Para absorver movimentos, derivados da variação dimensional causada por variações de temperatura (dilatações térmicas lineares) ou derivados da movimentação de equipamentos rotativos.

Ou motor à combustão interna como MWM e Cummins, encontrados em autopeças. Outra funcionalidade desta junta de expansão, consiste em suavizar ruídos mecânicos e compensar alguns desalinhamentos.

Conhecidos também como fusos trapezoidais, os parafusos trapezoidais são usados na execução de, de certa forma, todos os procedimentos e aplicações industriais.

O fuso trapezoidal oferece uma rosca trapezoidal isósceles (CSN 014.050). Desta forma, essa é uma das razões pelo qual o fuso trapezoidal é um item essencial em estruturas padrões.

É, então, projetado para auxiliar na realização de movimentos rotativos e de auto travamento, geralmente em baixa eficiência linear.

Além disso, é extremamente necessário tanto para a fricção, quanto para a lubrificação de material que está na superfície roscada, sendo essa uma de suas atuações.

O rolamento, trata-se da ferramenta usada no controle de variadas peças e partes, substituindo a fricção consequente do deslizamento entre suas superfícies de eixo e chumaceira por fricção de rolamento.

São várias as etapas de feitura ao longo da transformação do aço estrutural, em peças e ferramentas gerais. Embora, sua importância seja variada de acordo com o tipo, qualidade e tempo de fabricação requerida.

O uso nos procedimentos

A grande variação de operações, é a principal característica que distingue uma fábrica de peças metálicas, de qualquer outra unidade de produção em série. As operações normalmente usadas são:

● Manuseio e corte de material;
● Execução de Gabaritos;
● Traçagem;
● Operações de usinagem e forjamento;
● Furação;
● Desempeno, dobramento e calandragem;
● Ajuste e alargamento de furos;
● Parafusagem e soldagem;
● Acabamento;
● Controle de qualidade;
● Limpeza e pintura;
● Embarque.

Usualmente, as inúmeras fases de feitura são executadas sempre com o auxílio dos croquis de cada peça e/ou engrenagem.

Evitando o uso de desenhos detalhados em excesso, estes manuseados somente por profissionais qualificados e especializados na área.

Embora, o controle do andamento de produção, deva ser feito e monitorado por fichas informativas (posição de cada elemento dentro do fluxograma fabricado).

O material com tamanho em excesso, deve ser encaminhado para as serras, tesouras ou seções de corte. As fases de corte do aço para a construção de peças são, de modo geral, mecânicas ou térmicas.

O processo de corte depende exclusivamente da complexidade do trabalho, etapa de fabricação e tipo de material a ser usado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *