Determinar a pressão é determinar a intensidade de uma força sobre uma área (P = F/A) e o primeiro instrumento capaz de quantificar isso foi o barômetro, criado em 1643 por um cientista chamado Torricelli.

Esse instrumento era capaz de medir apenas a pressão atmosférica, que é a pressão que a atmosfera faz sobre a Terra.

O que são instrumentos de medição?

Ao passar do tempo, muitos outros instrumentos de medição da pressão foram criados e eles são capazes de medir os mais diversos materiais e substâncias, com o objetivo de fazer o controle de qualidade, o controle de processos e muito mais.

Há os medidores que desprezam completamente a atmosfera, tendo como referência o vácuo completo e esses são chamados de medidores de pressão absoluta.

Existem os de pressão referencial, que compara dois pontos distintos entre si e também a pressão relativa, que possui a atmosférica como referencial.

Mais especificamente, existe a medição de pressão estática, transmitida por um fluido nas paredes de uma tubulação ou vaso. Há ainda a cinemática, que é a da velocidade de um fluido.

Em resumo, esses instrumentos são usados na indústria para conseguir a confirmação de que as exigências a respeito dos processos e materiais estão sendo contempladas.

O mais simples deles é o manometro, cuja função é medir a pressão de fluidos contidos em recipientes fechados.

Eles podem ser mecânicos ou digitais, contendo um ponteiro ou um display e seu custo, normalmente, é baixo. Esses aparelhos são usados quando não há necessidade de muita precisão.

Quando os dados precisam ser transmitidos para um sistema de controle, usa-se um transmissor de pressão, que é basicamente um manômetro com sinal digital de saída.

Quando se precisa de mais precisão, usa-se um Sensor de pressão, mas aqui se abre uma subcategoria, visto que existem muitos tipos de sensores, como:

  • Capacitivos;
  • Indutivos;
  • Piezoresistivo;
  • Potenciométrico;
  • Ressonante;
  • Ótico.

Embora todos esses tipos sejam capazes de indicar qual é a pressão, é preciso escolher com cuidado qual é mais adequado para a necessidade em questão.

Por exemplo, o chamado LVDT (Transdutor de Pressão Indutivo), que se vale de um campo magnético para medir a pressão, é recomendado quando se trabalha com metais.

Por outro lado, há o sensor piezoresistivo: funciona utilizando cristais (como o quartzo) que acumulam carga elétrica quando sofrem alguma deformação causada pela pressão, mas não é útil para medir pressões estáticas.

Alguns desses sensores, inclusive, possuem como objetivo determinar outros dados, como o nível de um líquido ou sua vazão.

O melhor é contar com a opinião de um especialista na área, pois muito dinheiro pode ser perdido caso se invista no instrumento errado.

Produtos com maior precisão são mais caros e podem parecer uma decisão inteligente, mas, por muitas vezes, esse cuidado não faz diferença alguma na cadeia de produção ou na qualidade dos serviços.

No entanto, ainda pior do que isso, é utilizar um equipamento com precisão inferior à necessária, o que pode causar o descarte de muitos produtos ou até colocar a indústria em problemas judiciários.

Como ocorre a manutenção?

Os medidores de pressão exigem certos cuidados de manutenção para que funcionem corretamente e isso vai muito além de simplesmente zerar o medidor de pressão.

Por exemplo, mesmo o mais simples deles, os manômetros, precisam de uma anual Calibração de manometros.

O primeiro passo para que essa calibração seja realizada é a limpeza completa desses aparelhos, isso porque caso haja alguma partícula presa a ele o padrão pode ser danificado. Esse processo serve para identificar três aspectos:

  • O desvio da medição no próprio instrumento;
  • O desvio da indicação entre o valor medido e o valor de referência;
  • Resultado de medição confiável com rastreabilidade a padrões estabelecidos internacionalmente.

Muitas vezes, para que esses aspectos sejam apontados, usa-se uma balança de pressão. É necessário que essa balança possua incerteza de, no mínimo, quatro vezes menos que a do manômetro.

Existem muitas empresas e laboratórios especializados na Aferição de equipamentos de medição, cujo principal objetivo é alinhar esses instrumentos às exigências da RBC (Rede Brasileira de Calibração).

Ou de alguma empresa interncional que determina os padrões a serem seguidos pelas empresas de calibragem.

Essas empresas contam com equipamentos de alta precisão, já que é da calibração que toda a linha produtiva depende, podendo gerar prejuízos graves para a empresa contratante do serviço de aferição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *