Produtividade, inovação e desenvolvimento. Todos esses conceitos são palavras-chave da chamada indústria 2.0. Neste contexto, as Empresas de automação industrial são responsáveis por uma série de processos que permitem que as indústrias se desenvolvam, tanto no maquinário como nas operações.

O conceito de indústria 2.0 é algo que surgiu a partir da 2ª Revolução Industrial, no século XIX. A época é marcada pelo desenvolvimento tecnológico e industrial e pelo consumo e exportação dos produtos industrializados em larga escala.

No entanto, esse conceito é constantemente aprimorado com as novas demandas do mercado e avanços.

Neste cenário, as Empresas de automação industrial contribuem muito para que isso aconteça, já que, na prática, elas cuidam da manutenção de equipamentos, da locação e até da organização de profissionais qualificados.

Como a rotina de uma indústria é atrelada por várias demandas, responsabilidades e gestão de processos complexos, nem sempre as indústrias possuem tempo para pensar em automação.

Por esse motivo, é importante entender como tudo isso funciona e de que forma o investimento na Consultoria em processos industriais pode ser útil.

Quer saber mais sobre como alcançar o conceito de indústria 2.0 na prática? Leia este artigo e saiba mais sobre como a automação do mercado industrial pode ajudar.

Empresas de automação industrial: Para que servem?

Do dicionário, a palavra automação sugere o uso de dispositivos mecânicos e eletrônicos para o controle de processos. Na indústria, as Empresas de automação industrial são especializadas em serviços de gestão, planejamento, manutenção e melhorias dentro da operação industrial.

Se uma indústria precisa modernizar o maquinário ou é hora de fazer a substituição de algumas máquinas, uma empresa de automação pode cuidar de toda a parte burocrática.

Se algo não está funcionando em uma operação ou se existe uma nova forma de produzir com menor custo e qualidade proporcional, a automação industrial também entra em cena. É neste sentido, que essas empresas ganham cada vez mais força no mercado de parcerias com as indústrias.

Mas, de que forma esse tipo de empresa se relaciona com o conceito de indústria 2.0?

Esse é um tema de discussões que gira neste setor e também é levado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com certa frequência.

Como os processos industriais precisam de agilidade, otimização e senso de urgência, contar com serviços que auxiliem nas burocracias e ajudem a  empresa a manter a competitividade é essencial.

Por isso que as empresas de automação estão se destacando neste mercado. Além da revisão e montagem do planejamento estratégico para modernizar os processos, essas parcerias são positivas nos seguintes pilares:

  • Ajudam a mapear o desenvolvimento dos concorrentes;

  • Oferecem soluções rápidas diante de problemas operacionais;

  • Auxiliam a competitividade das grandes indústrias;

  • Assumem gestão de responsabilidades e ajudam na organização da indústria;

  • São focadas no desenvolvimento industrial.

Como cada indústria tem um nicho, uma forma de operação e uma demanda diferente, as necessidades de automação também são variáveis.

Por isso, uma boa forma de iniciar essa transição para o conceito de indústria 2.0 é contar com um serviço de Consultoria em processos industriais.

De forma geral, as consultorias ajudam no mapeamento de problemas, oportunidades, vantagens e déficits da indústria em questão. Ou seja, profissionais qualificados estudam o funcionamento da empresa antes de qualquer medida a ser tomada.

Há inúmeros serviços que surgem a partir daí ou que podem ser indicados para o desenvolvimento industrial. Confira algumas possibilidades nos tópicos abaixo.

Sistema supervisório

Toda indústria funciona com máquinas e tecnologia. Ao pensar na tecnologia, cada vez mais os processos operacionais são registrados em bancos de dados.

Neste cenário, investir nas melhorias e manutenção periódica (ou instalação) do Sistema supervisório é uma necessidade.

Na prática, esse sistema serve para o registro de informações sobre a operação industrial em bancos de dados. Ou seja, o funcionamento de uma máquina ou uma etapa, como o envasamento de líquidos por exemplo é gravado por um software.

Nesta situação, as informações ajudam a padronizar os processos e a identificar falhas ou possíveis ajustes. É por isso que o Sistema supervisório é tão importante.

Processos gerais de automação industrial

Além do banco de dados, a programação para manutenção das máquinas ou o controle de qualidade dos produtos industrializados também faz diferença.

Como toda máquina tem desgaste e pode ser modernizada, os processos automatizadores envolvem a identificação do que está funcionando e o que pode melhorar.

Se um painel eletrico ou um motor precisa de algum tipo de substituição ou melhoria, os profissionais especializados na área de automação podem corrigir esses problemas. Em resumo, esse conjunto de estratégias e serviços é que fazem a indústria 2.0 acontecer na vida real.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *