Cozinhas industriais precisam seguir uma série de normas relativas ao armazenamento e à manipulação de alimentos. Afinal, contaminações de qualquer tipo podem causar sérios problemas de saúde pública.

No caso do armazenamento, indica-se o uso de materiais fáceis de higienizar, como o pallet de plástico. Eles devem ser limpos periodicamente, e mantidos em um ambiente com temperatura controlada, de modo a assegurar a qualidade dos alimentos mantidos no local.

Já no caso do preparo, a complexidade é maior: não se deve apenas prezar pela higiene, como, também, pela eficiência. Afinal, por mais que um bar ou restaurante esteja cheio, os pedidos ainda devem chegar à mesas o mais rápido possível.

Por conta disso, praticamente todos os estabelecimentos contam com equipamentos que agilizam o preparo dos pratos, como a fritadeira industrial.

Ela, porém, está disponível em vários modelos, cada qual com suas vantagens e desvantagens. Logo, é preciso pesquisar e definir qual é o que supre as necessidades do negócio. Confira algumas informações importantes a respeito disso a seguir.

  1. Fritadeira elétrica para cozinhas industriais

A principal variável entre os diferentes tipos de fritadeira é a fonte de alimentação. Uma das opções disponíveis no mercado é a fritadeira eletrica – que, como o próprio nome diz, funciona à base de eletricidade.

Contudo, esta não é a sua única particularidade. Normalmente, estes aparatos têm queimadores que entram em contato direto com o óleo, o que significa um aquecimento mais rápido. Em compensação, ao contrário de outros modelos, eles não são desmontáveis, o que pode dificultar a higienização.

Da mesma forma, seu custo de instalação é mais baixo. Afinal, basta que elas sejam conectadas à rede elétrica para que entre em funcionamento: não é preciso fazer alterações estruturais no local, como a inserção de mais canos.

Em compensação, é preciso considerar o custo da eletricidade em sua região: se ele for muito elevado, o valor de manter a fritadeira pode se tornar inviável à longo prazo.

Por fim, é preciso ter em conta que este aparato é mais portátil que outros modelos. Por conta disso, estabelecimentos que trabalham com eventos e outros projetos externos terão mais facilidade para levá-la de um local ao outro, conforme suas necessidades.

  1. Fritadeira a gás para cozinhas industriais

Normalmente, a fritadeira a gas é o modelo que compete com o modelo elétrico. Como seu próprio nome diz, elas funcionam com gás, o que as torna uma excelente opção em locais onde a eletricidade é cara e/ou a corrente elétrica é instável. Da mesma forma, o processo de preparo da fritura é mais rápido, e, a limpeza, facilitada.

Em compensação, quando não houver tubulações de gás apropriadas no local, será preciso instalá-las, o que requer um investimento adicional.

Além disso, este modelo costuma ser mais pesado, algo que, muitas vezes, inviabiliza seu transporte para outros locais, como feiras e eventos.

  1. Fritadeira de pressão para cozinhas industriais

Em uma cozinha industrial, sempre há uma pressão para que os pratos fiquem prontos para servir o quanto antes. Em contrapartida, certos tipos de fritura são conhecidos por serem mais demorados, como:

  • Carne bovina;

  • Carne de frango;

  • Miúdos de frango (como coração e moela);

  • Frutos do mar.

Quando um estabelecimento serve estes pratos, é interessante considerar a aquisição de uma fritadeira de pressão. Como ela não usa apenas o calor, mas também a pressão, o preparo das frituras fica mais rápido. Além disso, o resultado costuma incluir uma camada mais crocante, o que significa pratos de mais qualidade.

Como escolher a melhor fritadeira para cozinhas industriais?

A grande diversidade de modelos no mercado mostra que a escolha de um modelo de fritadeira para um restaurante não é nada fácil.

Por conta disso, é importante pesquisar e refletir a respeito das necessidades do próprio estabelecimento antes de fazer a aquisição.

Antes de tudo, é preciso pensar no espaço disponível na cozinha: a presença de outros itens fundamentais, como porta pallet, fornos, fogões e bancadas, podem fazer com que ele fique bastante escasso. Neste caso, a versão elétrica tende a ser a melhor opção, justamente por ser mais compacta e fácil de transportar.

Da mesma maneira, é preciso pensar no porte do bar ou do restaurante, bem como da quantidade de pratos com frituras que estão no menu.

Independentemente da fonte de alimentação, ela deve ter uma quantidade de queimadores que supra as necessidades da cozinha.

Por fim, é sempre importante privilegiar os produtos de marcas mais tradicionais e consolidadas no mercado. Uma fritadeira hobart, por exemplo, é uma boa opção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *