Nos últimos anos, o Brasil tem verificado um crescimento significativo em vários setores fundamentais da produção da indústria do país. Esse crescimento passa pelos setores primários, secundários e terciários, como é o caso das indústrias de ferro e aço, seja no tocante à área da mineração ou da fundição.

Dado esse aquecimento geral, não apenas alguns nichos menores acabam se beneficiando (no tocante ao crescimento da demanda), como algumas responsabilidades e exigências acabam crescendo juntamente com a ampliação do setor.

Um exemplo de responsabilidade é o da segurança do trabalho, que diz respeito a uma série de normas e exigências que devem ser assistidas por todas as indústrias e empresas que se estabelecem com foco na área.

Um exemplo de demanda é o da busca por soluções inovadoras que visem trazer novas tecnologias ao mercado, com foco especial na otimização de tempo e na economia de recursos.

Quando se fala em indústria e em mineração, os equipamentos e processos voltados para o transporte interno, seja de colaboradores, seja de produtos, peças ou partes, é um dos pontos mais delicados da atualidade.

Há várias soluções e inovações voltadas para isso, como é o caso das defensas e do guindaste, bem como da ponte rolante e das correias e correntes transportadoras, conforme ficará claro adiante.

Sobre correia transportadora

A correia transportadora é um exemplo de dispositivo indispensável para as soluções logísticas de transporte interno de produtos e materiais entre os vários setores de uma indústria.

Trata-se de uma peça, como uma esteira potente, que permite a locomoção programada e segura de produtos que vão desde embalagens e estruturas plásticas mais leves, até artigos de grande peso, como no caso de peças da construção civil em geral, como blocos, pedras e cimentos.

As vantagens que uma correia transportadora pode trazer à indústria são várias. Alguns exemplos, são:

  • Maior segurança no transporte;

  • Maior eficiência nos processos internos;

  • Redução de desordem e maior produtividade;

  • Redução de gastos com veículos motorizados;

  • Otimização do tempo de produção.

Sobre corrente transportadora

A corrente transportadora, por sua vez, integra o sistema geral das supracitadas correias e das esteiras com um todo. Em termos mais específicos e técnicos, a corrente compõe o sistema de engrenagens.

As especificações de um sistema de transporte definirão os tipos e a quantidade de correntes que deverão ser empregadas em determinado projeto.

Tudo é altamente customizado em soluções assim, pois não apenas os setores variam em conformidade com os produtos e processo com que lidam, mas o próprio espaço físico e as distâncias entre os setores de uma instalação industrial são imensamente variáveis.

As fileiras e os feixes da corrente é que determinam o modelo que será empregado e como elas deverão se anexadas aos trilhos e engrenagens do sistema.

Em qualquer caso, essa solução pode atender uma gama enorme de indústrias e segmentos. Alguns exemplos de setores favorecidos, são:

  • Frigoríficos, laticínios e bebidas;

  • Petrolíferos e petroquímicos;

  • Agrícola, siderúrgico e minerador;

  • Papel, celulose e têxtil.

Defensa metálica e demais normas de segurança

Além de esteiras, correntes e correias, há outras soluções indispensáveis para os setores de transporte interno das indústrias.

Trata-se dos equipamentos de segurança que garantem, não apenas a eficiência do serviço no que concerne à integridade física dos itens, partes e peças transportados, mas também da segurança dos colaboradores que operam no sistema logístico interno.

A defensa metálica é um dos artigos mais comuns de segurança, que tem o papel de conter e redirecionar objetos desgovernados. Outro nome comum para a defensa é guard rail, como elas são conhecidas especialmente por compor o canteiro de rodovias e estradas de todo o país.

Trata-se do mesmo dispositivo, porém no caso industrial ela se volta mais especificamente para as pistas de rolagens, embora também possa compor o sistema viário de uma grande indústria que dependa da locomoção automotiva do funcionário (às vezes em velocidades elevadas).

O importante é observar que além da defensa metálica há ainda uma série de medidas e normas de regulamentação que devem ser assistidas por todas as indústrias e empresas em território nacional.

Visando a garantir não apenas a eficiência dos processos e produtos em jogo, mas especialmente a segurança dos funcionários enquanto submetidos aos processos e ao local de trabalho.

A maioria dessas determinações é emitida e atualizada anualmente pela ABNT, a Associação Brasileira de Normas e Técnicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *