Na mesma proporção em que se deve existir bons hospitais, devem existir também bons equipamentos hospitalares. Na verdade, um dos itens que podem fazer um hospital ou clínica se destacarem, são os equipamentos.

Além é claro de toda uma equipe selecionada a dedo e bem preparada. Um material hospitalar de qualidade, pode garantir o bom funcionamento de todo o hospital.

Mas muito mais do que isso, é preciso saber quais são os cuidados necessários com tais equipamentos, para prevenir falhas em horas críticas.

E assim como a maioria dos equipamentos, os hospitalares também precisam ser bem escolhidos e devem ter a manutenção em dia.

Conheça alguns equipamentos importantes este setor

Os cuidados precisam ser constantes para que tenham sua vida-útil estendida e funcionem com precisão. Um desses materiais comuns no dia a dia dos hospitais, é a central de vácuo hospitalar.

Que tem como principal função absorver líquidos ou algum resíduo contaminante, que pode ficar no ambiente, a fim de assegurar a higiene dos hospitais ou clínicas.

Ele suga as substâncias e armazena esse material suspeito numa espécie de tanque, o que protege pacientes e funcionários de qualquer risco de contaminação.

É preciso que seja feita sempre uma manutenção preventiva e uma inspeção, por se tratar de um produto tão importante na área da saúde.

A central é feita a partir das normas estabelecidas pela Anvisa e o Ministério da Saúde, para que sua distribuição seja permitida.

Outro bem comum é a incubadora, principalmente a incubadora de laboratório. Esse equipamento é muito indicado para laboratórios e clínicas, que necessitam de apoio para a esterilização.

Além de um sistema de filtração do gás, elas são muito usadas para reprodução de microrganismos e células. A maior vantagem, é o controle de temperatura que ela oferece.

Garantindo que as amostras ou outros materiais biológicos que estejam dentro dela, sejam conservados de maneira correta. Os tipos de incubadora podem ser: de CO2 (gás carbônico), seca e rolo.

Não muito diferentes, temos a estufa para laboratório, ideal também para o controle de temperatura para atingir um aquecimento maior do que a temperatura ambiente.

É capaz de envelhecer, endurecer e secar os materiais que são armazenados nela, a fim de colaborarem com as pesquisas dos laboratórios.

Como manter a qualidade destes equipamentos?

Mas de nada servem esses equipamentos, se não possuírem os cuidados necessários para mantê-los ativos e com qualidade de funcionamento.

Para ter um bom funcionamento hospitalar, é preciso que esses materiais tenham constantes cuidados, para permitir que sua vida-útil seja prolongada.

A falta de manutenção preventiva pode acarretar na corretiva mais tarde, em que todos, hospital e paciente, saem perdendo, por não poder utilizar os recursos 100%.

Existem passos que podem ser seguidos para assegurar a qualidade dos equipamentos, ajudando a sua finalidade e controlando também os gastos, que seriam necessários para consertos.

Um dos passos a serem seguidos, são as condições corretas em que devem estar os aparelhos. Esses equipamentos, costumam ser mais sensíveis e exigem certos cuidados em relação ao ambiente em que serão instalados.

Por isso deve-se prestar muita atenção, se as condições específicas para cada aparelho estão sendo cumpridas – a temperatura do ambiente é um desses fatores, que devem ser levados em consideração.

Os equipamentos também precisam de procedimentos de padronização, em que especialistas avaliam se o uso do equipamento está sendo feito de forma correta.

Para isso, são elaborados documentos e relatórios, para padronizar o uso de todos, isso permite que se tenha fácil acesso, caso os funcionários tenham alguma dúvida posterior.

Os mesmos também devem passar por um treinamento, sobre as funções das máquinas para garantir que não haja erros.

A higienização dos equipamentos também precisa ser destacada. Os cuidados com a limpeza devem ser constantes para evitar, até mesmo, riscos de contaminação.

Esses cuidados englobam a desinfecção e esterilização dos aparelhos. Ambos os processos, precisam estar de acordo com a necessidade de cada equipamento.

O uso incorreto de algum produto, pode comprometer a funcionalidade dos equipamentos hospitalares. Mas, de uma maneira geral, a limpeza básica consiste em panos úmidos e sabões neutros, que devem ser passados em suas superfícies.

Conhecer bem os equipamentos, é importante para saber quais serão as melhores formas de cuidar deles. Os investimentos nesses aparelhos são grandes.

E a gestão do hospital, deve promover a responsabilidade dos cuidados adequados sobre eles. Para isso é preciso fiscalização e comprometimento com a instituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *